Influência do método de segmentação – automático vs. manual – e da presença ou não de atividade extramiocárdica na extensão dos defeitos de perfusão do miocárdio observados através de estudos de SPECT

Marisa Machado, Ricardo Jorge, Sérgio Figueiredo, Elisabete Carolino, Lina Vieira

Resumo


RESUMO: Introdução – A cintigrafia de perfusão do miocárdio (CPM) por tomografia por emissão de fotão único (SPECT, do acrónimo inglês single-photon emission computed tomography) é um dos exames mais utilizados na estratificação do risco de doença coronária, cuja extração dos parâmetros quantitativos da perfusão do miocárdio depende da correta segmentação do ventrículo esquerdo (VE). O objetivo deste estudo é avaliar a influência do método de segmentação automática (A) vs. manual (M) na quantificação da extensão do defeito (ED) da perfusão miocárdica, em estudos com (CAE) e sem atividade extramiocárdica (SAE). Metodologia – Estudo retrospetivo de amostra não probabilística, por conveniência, de 63 estudos em esforço, com indicação clínica para CPM, disponíveis na base de dados da estação de processamento consola Xeleris® da ESTeSL, os quais foram divididos em quatro grupos: Grupo I (GI): 26 estudos com ED inferior a 10% da área total do VE; GII: cinco estudos com ED igual ou superior a 10%; GIII: 21 estudos com ED inferior a 10%, CAE e GIV: 11 estudos com ED igual ou superior a 10%, CAE. Todos os estudos foram segmentados de forma A e M recorrendo ao software Quantitative Perfusion SPECT (QPS®). Para a análise dos dados retirados do mapa polar com 20 segmentos foram utilizados os testes: t-Student, Wilcoxon e U de Mann-Whitney, considerando α=0,05. Resultados – Na avaliação da ED de perfusão (20 segmentos) é possível verificar diferenças estatisticamente significativas (p<α) entre o método de segmentação A vs. M nos segmentos 13, 14 e15 (GI); nos segmentos 13 e 16 (GIII) e no segmento 1 (GIV). No que diz respeito aos estudos CAE e SAE não existem diferenças estatisticamente significativas (p>α). Conclusão – Na amostra em estudo existem diferenças entre o método de segmentação A vs. M nos segmentos mais periféricos do mapa polar na avaliação da ED da perfusão miocárdica. Não foram encontradas diferenças entre a extensão do defeito da perfusão miocárdica nos estudos CAE e SAE.

Palavras-chave


SPECT; Segmentação; Extensão do defeito de perfusão; Atividade extramiocárdica; Cintigrafia de perfusão do miocárdio

Texto Completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.25758/set.1681

Apontadores

  • Não há apontadores.


Copyright (c) 2017 Saúde & Tecnologia

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.