Efeitos do treino orientado para a tarefa na marcha, equilíbrio e medo de cair após acidente vascular cerebral: estudo de caso

André Refacho, Joana Santos, Maria Magalhães, Teresa Lourenço, Beatriz Fernandes

Resumo


Introdução – O acidente vascular cerebral (AVC) está intimamente relacionado com o aumento da ocorrência de quedas, assim como o medo de cair, também este um fator predisponente para quedas. As alterações ao nível do equilíbrio e da marcha, presentes até em fases mais crónicas, provocam o aumento do risco de quedas nesta população.

Objetivo – Investigar os efeitos do treino orientado para a tarefa na marcha, equilíbrio e medo de cair num paciente com AVC em fase crónica.

Métodos – O presente estudo seguiu uma metodologia de estudo de caso, tendo sido realizada uma avaliação inicial, seguida de uma intervenção durante sete semanas, baseada em treino orientado para a tarefa. Os testes utilizados foram a Escala Internacional de Eficácia de Quedas (FES-I), a Escala de Equilíbrio de Berg (EEB), o Índice de Barthel (IB), o Timed Up and Go Test (TUG) e o Teste de Velocidade de Marcha de quatro metros (TVM4).

Resultados – Observaram-se melhorias clínicas na FES-1, EEB, Índice de Barthel, TUG e TVM4.

Discussão/Conclusão – Em 14 sessões de programa baseado no treino orientado para a tarefa observaram-se ganhos com importância clínica a nível do equilíbrio, marcha e medo de cair num indivíduo em fase crónica após AVC. As melhorias no equilíbrio e funcionalidade da marcha foram acompanhadas do aumento da confiança na realização das atividades da vida diária.


Texto Completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.25758/set.2228

Apontadores

  • Não há apontadores.


Copyright (c) 2020 Saúde & Tecnologia

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.

ISSN: 1646-9704. Publicação anotada na ERC. NIPC 508519713

ESTeSL (IPL). Av. D. João II, lote 4.69.04. 1990-096 Lisboa