“Riders in the Storm”: as profissões e a governança em saúde

Ellen Kuhlmann

Resumo


O setor público enfrenta tempos atribulados, constituindo isto igualmente
um desafio para as profissões de saúde, de quem se espera que sirvam tanto os interesses dos cidadãos quanto as políticas de contenção de custos e de austeridade dos governos. Este artigo procura explorar o papel em mudança das profissões de saúde. Introduzo uma abordagem aos profissionais cidadãos como agentes ativos no processo de produção de políticas e como mediadores entre o Estado/produtores de políticas e os cidadãos/utentes. O objetivo é salientar um potencial de profissionalismo transformador e a interligação com outras instâncias de governança, como a gestão. Elaborado a partir da análise de produção
de políticas e de fontes secundárias, os argumentos aduzidos são ilustrados com base em material empírico relativo a um estudo de caso alemão e a um estudo comparativo europeu. Os resultados fazem sobressair a complexidade das transformações e das novas formas emergentes de profissionalismo que não podem ser entendidas por categorias tradicionais de conflito, exclusão e jurisdição. Explorar o potencial das profissões de saúde para responder criativamente a novos desafios pode revelar novas oportunidades para inovar as políticas de saúde, para lá do mercado e da gestão.

Palavras-chave


governança em saúde, profissões de saúde como mediadoras, managerialism, profissionalismo híbrido

Texto Completo:

PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.25758/set.824

Apontadores

  • Não há apontadores.


Copyright (c) 2015 Saúde & Tecnologia



ISSN: 1646-9704. Publicação anotada na ERC. NIPC 508519713

ESTeSL (IPL). Av. D. João II, lote 4.69.04. 1990-096 Lisboa